10 de junho de 2011

Café,


Café de meia, de cafeteira

Tomo até de mamadeira
Café em grão, de verão
Secando ao Sol na fazenda do Barão
Café em pó, com pão e só
Cedinho na casa da vovó
Café expresso, de padaria
Com gosto de correria
Se o café(coitado) soubesse para onde iria,
Sequer ele nasceria.
Mas se não fosse a coragem do café,
Eu não estaria de pé! (Escrevendo poesia)

(tales buonarotti")

Um comentário:

Grupo de Teatro Preto no Branco disse...

Olá, meu nome é tales e gostaria de agradecer a postagem! Fiquei mto feliz ao ver que meus poemas estão rodando por aí! uhaesuhseahu

Um Grande Beijo!
E convido todos à acessar meu blog: www.letrasolta.com.br

Pages - Menu