25 de setembro de 2011

orgulho de ser.

 Sol escaldante,buzina de carro,vendedor gritando,gente pregando o evangelho,
pastel de carne,caldo de cana,piadas em praça publica ,quem já foi ao centro de Fortaleza sabe bem do que eu falo,é uma loucura só,todo mundo reunido em um só lugar vendendo de tudo ,de tudo mesmo.
Cearence é assim gente da gente ,povo lutador,povo feliz,não tem como não perceber o
olhar de vencedor de cada um deles ,que atravez do seu trabalho sustenta sua família com  pouco dinheiro ou com muito,mas vence suas batalhas .Um corre corre só ,pedindo desconto aqui outro acolá e eu levando umas coisitas a um precinho camarada,agora me diz,quem nunca fez isso?
Fui pra casa não só com sacola cheia ,mas também com coração pulsando de orgulho.
Sou do povo ,sou cearence  ,sou feliz.

                                       ---

 Tem blog novo na parada ,
Dois olhares femininos  , eu e a minha amiga Nejla lima  estamos na parada.
Poemas,arte ,música,reflexões da vida e muito mais..
Ta aqui comigo e com vocês Dois olhares .. então , olhem também.

                                   ---
Terminei de ler o livro começar de novo ..(Jackie M.)
apaixonante..
 - Amar significa que você pode ser você mesma

Assisti em dvd  além da vida do diretor Clint Eastwood.

“Retire seu lixo mental. Ele atrapalha o que realmente importa: o aqui e agora.”


E pra terminar,
um beijo no coração dos meus leitores.


                                             (Samara Veras)








19 de setembro de 2011

Por não estarem distraídos .


Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos, a alegria como quando se sente a garganta um pouco seca e se vê que por admiração se estava de boca entreaberta: eles respiravam de antemão o ar que estava à frente, e ter esta sede era a própria água deles. Andavam por ruas e ruas falando e rindo, falavam e riam para dar matéria e peso à levíssima embriaguez que era a alegria da sede deles. Por causa de carros e pessoas, às vezes se tocavam, e ao toque – a sede é a graça, mas as águas são uma beleza de escuras – e ao toque brilhava o brilho da água de les, a boca ficando um pouco mais seca de admiração. Como eles admiravam estarem juntos!
Até que tudo se transformou em não. Tudo se transformou em não quando eles quiseram essa mesma alegria deles. Então a grande dança dos erros. O cerimonial das palavras desacertadas. Ele procurava e não via, ela não via que ele não vira, ela que estava ali, no entanto. No entanto ele que estava ali. Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram. Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios. Tudo, tudo por não estarem mais distraídos.

-Clarice Lispector

Amei essa adorável crônica da nossa querida  Clarice  ,além de linda  é muito comovente.
Espero que gostem assim como eu.

10 de setembro de 2011

de cara limpa e coração aberto.



Se tem uma coisa que machuca pra caramba é fim de relacionamento,e 
quem já passou por isso sabe do que eu to falando.
Agente caminha ao lado daquela pessoa durante anos,dias e meses e durante apenas um 
segundo tudo termina, você percebe que tudo que você viveu chegou ao fim.
Superar a falta,lembrar dos momentos sem querer recordações,jogar fora da alma tudo
que ficou de negativo e assim guardar apenas as coisas boas que aquela pessoa te trouxe  .
Machuca demais ,agente chora,agente coloca a vida de pernas pro ar,mas agente se  
recupera com o tempo e tudo se encaixa no quebra cabeça da vida.
Não há tempo perdido para quem sabe amar,mesmo que tenha  durado um mês de relacionamento,
ou simplesmente um ano, mas uma coisa de fato é certa,sair de cara limpa,de alma lavada é o que faz bem ,
 é ter a plena consciência que você fez sua parte,mesmo que a outra pessoa não reconheça o seu valor,mas é 
é isso que faz a diferença,saber amar.
Disso eu tenho certeza.

Eu não ia deixar de  compartilhar essa  mensagem que foi  me enviada por um amigo 
em uma conversa no facebook, linda e profunda ,me rendeu em lágrimas.

‎"Insistir naquilo que já não existe é como calçar um sapato que não te cabe mais... machuca, causa bolhas, chega a carne viva e sangra. Então é melhor ficar descalça. Deixar livre o coração, enquanto vive. Deixar livre os pés, enquanto cresce. Porque quando a gente cresce, o número muda! Às vezes você tem que esquecer o que você que pra começar a entender o que você merece"


Enviada por Rivelino Moreira,


                                                               (Samara Veras)

Pages - Menu