19 de fevereiro de 2012

(...)



'É na liberdade de amar

que eu (re)encontro  você em mim,
Livre e sem medo.
Outra vez .'




Samara Veras

2 comentários:

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Samara, boa noite!!
Amar é mesmo essa eterna dualidade. Muitos sempre dirão que o amor aprisiona ao ser amado; muitos dirão que o amor nos liberta para estar livremente lado a lado. Aí vem este seu poema, lindo, doce, curtinho como nada no mundo, e toma a segunda posição. Amar é liberdade! Ausência de medo.
Concordo plena, total e absolutamente, Sam!
Lindo, lindo, lindo.
Um beijo carinhoso
Doces sonhos
Leo

Mayara Cruz disse...

Lindo texto Samara!!!
Realmente o amor deve ser livre, sem medo, quando você se sente aprisionado e tem medo isso se torna insuportável! Por isso ame e seja livre e deixe a outra pessoa ser também! Beijoo adoro seu blog!

Pages - Menu