7 de fevereiro de 2012

infinito.


Coração sincero não consegue
dizer um não ,
não consegue  fingir

não consegue fugir
   não consegue mentir

Eu confesso,
ele sente
    
Ele vive e pulsa
ele (re)vive 

No infinito.


Samara Veras


2 comentários:

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Samara, boa noite!!
Ora, que docura de poema. Ah... Um coração sincero! Ah, não conseguir mentir, não conseguir fugir, não conseguir o mal, por amor de alguém ou mais ainda pelo amor do Bem... Quem sabe, se os corações fossem todos sinceros, como seria o mundo?! Quem sabe?!
Lindo, menina!
UM beijo carinhoso
Doces sonhos
Leo
P.S. - Amo este blog

Mayara Cruz disse...

Coração puro, cheio de beleza, palavras tão doces que mexem com o pensamento, todos os corações deveriam ser como você descreveu, porém o mundo em que vivemos não é assim e esta um pouco longe disso, mas nunca devemos desistir de ser quem somos!

Pages - Menu