27 de setembro de 2013

pedaço de nós






 Sempre tive comigo que  sempre deixamos um pedacinho de nós por onde passamos, a verdade é que só doamos para o outro aquilo que temos. Indaguei aos quatro ventos do mundo o porquê de perdermos a presença de quem realmente faz falta, de quem só nos trás boas vivencias e grandes gentilezas, o mais difícil diante de tudo isso, que é essas verdadeiras pessoas vêm e vão, embora rápido, sem um motivo se quer para um adeus. Elas se vão, sem nossa permissão,sem um aperto de mão qualquer e em meio a isso a gente não entende,luta e reluta e por fim compreende

Compreende que quem gosta e ama de verdade evita partidas, principalmente o sofrimento do outro, compreende, que mesmo  que usemos  muitas palavras,elas jamais irão decifrar  o ponto final, compreende, que assim como a dor de quem fará falta a sua falta também já e por si uma dor .

E com isso tudo a gente segue, lembrando sempre dos momentos que deixamos, dos sorrisos que compartilhamos, das alegrias e tristezas que essas pessoas dividiram com a gente, e que ficaram para sempre registrado na nossa memória, no nosso caminhar, na certeza que mesmo estando longe, essas pessoas se encontram perto de nós, em saudade, em vida.

Como tudo nesse caminhar, a vida segue, nos molda, nos edifica, não para nós, mas para o outro,pois todos os dias Deus nos dá oportunidade de externalizar o que temos de mais valioso ,que é os nossos sentimentos.E em meio a todas as idas e vindas o quê nos resta é valorizar  cada minuto que temos ao lado de quem exala amor,esse e o nosso maior dever

Acredito que cada pedaço de nós deixamos no outro, e o outro deixa em nós. E mesmo sem palavras para encerrar esse texto, Charles Chaplin fala melhor por mim “A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração.”

 Texto : Samara Veras


13 de setembro de 2013

(...)








 E se escrevo,é para me (re)encontrar.
Samara Veras

12 de setembro de 2013

desbafo diário



Que coisas boas floresçam assim como o vento que sopra aos meus cabelos nessa manhã de quinta feira, e que tudo se concretize na vontade de Deus. Eu vou torcer para que tudo de bom aconteça e lutarei por isso. Que a luz que guia meus pés transborde em força e em vida, para assim eu consiga vencer todos os desafios que esse dia vai me proporcionar.
E que eu permaneça, apesar de tudo, com sorriso nos lábios e com paz no coração. É o meu desejo.




“Que tudo acabe na paz,que tudo acabe bem”



Samara Veras

10 de setembro de 2013

o e-mail do dia.




 Ao contrario de muita gente, eu amor ler , enviar  e receber e-mail, assim  nessa terça feira de setembro resolvi compartilhar uma linda mensagem de fé que recebi (via e-mail)  de uma amiga muito querida.O texto chama-se “não desanime diante das dificuldades”
Encare problemas como campo de descobertas para novas soluções. O ponto de equilíbrio para superar uma crise é agir com tranqüilidade e confiança na busca pelo rumo da saída.Contemple derrotas como aprendizado para novas investidas. Exclua a frustração da perda e motive-se pela ocorrência de um novo embate. Vencemos não somente porque acreditamos na vitória, mas porque nos preparamos para luta!Entenda oposição como oportunidade de apurar suas convicções. Só lutam por uma causa quem realmente acredita na razão e no propósito da questão. A linha do seguir em frente não deve ser a da teimosia, mas a da coerência.
Assimile críticas como sinal de que você está sendo notado. A isenção da crítica alimenta uma falsa popularidade. Toda crítica tem uma ponta de verdade, então as aproveite para ajustar e melhorar sua autocrítica.Reconheça sua realidade, mas não deixe de sonhar jamais; voe alto, pise em nuvens e não se exima de construir dia a dia o seu par de asas. As ações em torno de um ideal são como peças da realidade evidenciando que o projeto de nossos sonhos vai se concretizar!
Considere que se tiver que fazer um grande pedido, um “não” como ponto de partida você já tem, mesmo assim faça-o, tente outra vez – talvez o sim venha. Não julgue ou antecipe-se as respostas impronunciadas – você pode ser surpreendido com o positivo! Valorize e aprenda com o tempo, o passado é à sombra de sua maturidade. As marcas da vida revelam que você já esteve em batalhas; as cicatrizes provam que você lutou e também se feriu, mas que se recuperou. Encoraje os mais novos compartilhando sua experiência e prossiga pelo caminho da vida encontrando novas expectativas.
Mas jamais se esqueça de Jesus Cristo, pois sem Ele morreremos na praia do humanismo e qualquer realização sem a benção Dele é sem graça!

 
Enfim.amei!
Autor desconhecido. 

6 de setembro de 2013

palavra de ordem




Quando alguém me pergunta o quê eu quero do futuro, eu não êxito em dizer, quero é ser feliz. Quem me conhece de fato sabe disso, não desejo coisas grandes, nem muito menos um belo status.

Acho bacana a felicidade no rosto do meu pai e o sorriso da minha mãe quando falo que graças a Deus estou quase na reta final da minha graduação. Fico feliz a cada passo dado e a cada conquista que me permito a vencer, mas ainda sim o quê eu busco mesmo é estar bem comigo mesma.
A verdade é que quando eu tinha 12 anos eu já sabia o quê realmente queria, hoje, quase aos 24 eu já não sei o quê quero mais. É fato, quero e vou ser jornalista. Para ser mais precisa, quero viver de escrever, ponto.

Jornalismo segue esse caminho, palavras e textos. E acredito eu que estou no caminho certo, apesar das dificuldades. Acho que quando você faz a sua parte com dedicação, ás coisas fluem. Não se faz necessário cobranças dos lados e nem de si mesmo.
Só acredito é que com o passar do tempo à gente vai percebendo que quanto mais experientes somos, menos sabemos o quê queremos de fato. Parece que temos aquele velho medo do novo, da realidade.

É diante disso, o quê nos resta mesmo é seguir, e com fé. Buscando sempre não aquilo que te trará uma conta bancaria cheia, mas sim a verdadeira paz de está fazendo aquilo que é certo, não somente para a sua família, mas principalmente para si.
As duvidas dos medos, das escolhas certas e das incertas acredito eu que já faz parte da natureza humana, é bem certo que devemos sim em meio às (in) certezas da vida buscar o que nos encaixa no nosso ‘eu’.

Quanto às recompensas materiais e profissionais elas chegam leves e soltas até nós, por merecimento e por esforço próprio é claro, mas sempre que alguém me perguntar o quê eu quero mesmo dessa vida, eu vou dizer sempre, eu quero é ser feliz. Palavra de ordem.


Samara Veras

Pages - Menu