31 de janeiro de 2015

moça,

Moça, você é mais poesia que mulher!

29 de janeiro de 2015

(re) começo..

Era um mundaréu de coisas, profundas, cheia de surpresas, delicadezas e medos. Assim como o raiar do sol, tudo mudou rápido, todo transbordante. Às vezes o coração doía, necessitando de colo, de uma palavra amiga, desejando um abraço. Era preciso se recompor, deixar  a janela aberta para o sol entrar pelas brechas escondidas na cortina do quarto, era preciso.

Com os olhos cerrados de lágrimas o dia avivava um novo recomeço como um abrir de uma flor às seis da manhã, como o nascer do sol. Ela desistiu  de pensar, desistiu de sentir. Ela resolveu viver, mesmo com a alma dolorida. Era o inicio de um novo (re) começo..


Não era preciso mágoas, lamentações, recordações para se prosseguir. Não se preenche a alma com sentimentos rasos, sem delicadezas. A esperança divina havia acordado mais cedo naquele dia, aquele momento já havia sido escolhido pelo divino. Ela mal percebia a grandeza do sonhos que já havia escritos no celestial. O dia se prosseguiu e a esperança reviveu. E tudo o que acontecia , era um novo nascimento, feito na terra, construído por Deus. 

Samara Veras

28 de janeiro de 2015

palavra de hoje

        Imagem: google

23 de janeiro de 2015

Psicanálise


Conversa na recepção: Conversa vai, conversa vem, digo que sou psicanalista. A moça entra em pânico, temerosa de que eu tivesse poderes para ver a sua alma. “Eu já fiz terapia”, ela disse. “Mas agora estou resolvida.” Pergunto: “Quando se deu o óbito?”. Ela me olha sem entender. Óbito? Explico: as únicas pessoas resolvidas que conheço estão no cemitério.


(Livro de Rubem Alves, do Universo a Jabuticaba, Pág 10)

madalena, meu amor

    Foto : Samara Veras

"Acordei com saudades do sertão, da cidade mais linda e simples do Nordeste. Do fim de tarde mais bonito desse mundo."
Ê Madalena meu amor, saudades!


Samara Veras

16 de janeiro de 2015

sobre mais de mim


Pensei bastante em escrever esse post, na verdade ele ficou matutando em minha cabeça há dias. Na verdade falar sobre coisas, ou sobre outras pessoas é bem mais fácil do que falar sobre a gente, não é mesmo?!

Lembrei hoje de um fato que aconteceu comigo há quatro anos atrás, sobre uma fase muito difícil que passei em minha vida, no fato de ter superado uma depressão, de ter vivenciado um relacionamento que se findou no mesmo período, e pelas mudanças que tive fazer juntamente com meu pai, do apê que a gente morava, emprego, e de vida.

E fico pensando na grandiosidade que Deus teve em cada detalhe em cuidar da minha vida, dos meus dias, e de onde ele tem me permitido a me colocar hoje. Para ser bem sincera, temos a tendência a reconhecer nosso valor quando estamos vivenciando fases difíceis, parece que temos a tendência a valorizar o melhor que temos quando estamos em dias de chuva. É bem verdade.

E sendo realista, poucos me conhecem, além de saber que sou uma menina poética, que ama livros, que gosta do sertão, e que gosta de escrever. Poucos. E esses dias tenho pensado nisso, em mim, no que represento para mim e para toda minha família.

Acredito que até aqui, nesses meus 25 anos, já mudei em minha vida um montão de coisa, como todos sabem, sou incrivelmente introspectiva, romântica, sincera, e que ainda acredito nas pessoas, no melhor delas.

E sobre mais de mim; sou bagunceira, adoro música popular brasileira, adoro pedalar, amo queijo com goiabada (rs), sou incrivelmente atraída por livros e por poesia. Assim também tenho muitas manias, uma delas é sobre dia e hora de comer algo, de escrever em tudo que vejo, de pôr os livros pela casa, de escutar a mesma música várias vezes.

Pensando nas experiências, desde os meus 17 anos, aprendi a me virar sozinha, de começar a trabalhar, de aprender a cozinhar, de viajar sozinha, e de até ter a experiência de morar sozinha quase 1 ano, que Deus me permitiu.

E diante de todas as minhas vivencias de vida, do que fui, do que sou, entendo o medo de muitas pessoas próximas a mim de ter medo de me perder, de saber que sou um passarinho que tem muitos sonhos, e que deseja voar longe.

Vejo gente como medo de eu ir embora, ou de simplesmente de me ver longe alguns meses fora do Brasil, e de bater o pé e de dizer, “não vai, você vai fazer falta, a gente não consegue ficar longe de você”, ou de ouvir pessoas desejando a minha companhia para tomar um simples café.

Quando paro e penso em todas as pessoas importantes que gostam da minha companhia, dos aprendizados, e experiências, tenho plena certeza que nasci para ser feliz e fazer outras pessoas felizes, e que tudo o que sou hoje, não provêm de mim, é obra de Deus.No mais, é excesso de amor.

Samara Veras

agradecimento

Hoje é dia de agradecer a Deus pelo dom da vida, pelas coisas boas, pelas provações, pelos problemas . Deus com sua infinitamente bondade és grande e maravilhoso para nos dar o dom de viver e ser feliz , aleluia!


Obrigada Deus!

12 de janeiro de 2015

vô, descansa em paz

Vi a terra descer ligeiramente nas mãos de familiares sobre o corpo do homem que meu pai mais admirava e que ainda admira e ama , eu sei.
A certeza da partida, que somos pó, e que retornaremos ao pó, é mais que uma profecia para quem conhece realmente o Soberano.
Voltei pra Fortaleza hoje com a certeza que o amor ultrapassa a carne, a presença, o anseio de ter alguém do nosso lado, o amor mesmo, esse é dom de Deus,  e que por mais que possamos ver quem amamos ir embora, eu bem sei que restou uma história, grandes aprendizados e uma progressão de uma geração. É mesmo que passe o tempo passar, com o findar de uma vida, a saudade e os anos de vivências nunca apagará o amor que foi construído, nunca.


Texto escrito dia 08 de janeiro de 2015

Samara Veras

4 de janeiro de 2015

escrever, o meu amor diário

E o amor pela escrita só cresce a cada dia, as letras, as palavras, elas andam cada vez mais me ganhando, por inteira. Tenho a plena necessidade de escrever, de sentir o barulhinho do teclado a cada letra pressionada. Tenho ânsia e alegria ao ler as palavras sendo construídas uma a uma, e ver no final das contas um lindo texto, escrito por mim, vindo de dentro.

Escrevo por amor a mim, para ser completa, para ser eu como nunca fui. Escrevo para ser inteira, para me reconhecer, sem me faltar nada, e pra ser sincera, não há como fugir, só pode ser dom, pela permissão divina.
Anda crescendo no peito uma vontade bonita de escrever mais e mais a vida, ao que todos sabem, fiz esse blog em 2008, com a iniciativa do professor lindo, Gilmar de Carvalho, grande publicitário e professor da Universidade Federal do Ceará, que me incentivou a ingressar no curso de jornalismo, dando o ponta pé inicial através  do blog, e na minha escrita.

Sou extremamente apaixonada também pelo jornalismo literário, pela essência da literatura com o universo jornalístico, e pela leitura. Além da paixão desde pequena pela escrita, através do diário, essa nova relação com o jornalismo que surgiu há 4 anos atrás, só fez crescer esse amor infinitivo por textos.

Sei que essa nova relação tem se modificado, e pra melhor, basta ler meus textos, e sentir minha progressão, na verdade, caro leitores, eu sempre faço isso, amo meus textos, e depois de um tempinho, sempre costumo ler o que escrevi, para ver como está essa relação. O relacionamento com a gramática, através da conclusão de um curso de extensão em português me ajudou e muito, nessa minha arte diária.

Tenho planos grandes, sou uma eterna sonhadora, e com essa minha arte amável também não é diferente, já disse e repito, quero e vou ser escritora, e estou na luta para isso, como meus pais sempre dizem, faz parte do processo a caminhada, e os sonhos se constroem com o tempo.

Em meio essa boniteza através das palavras, com esse amor que transborda e que só me edifica, anda surgindo novas oportunidades de continuar nessa caminhada com os textos, não somente aqui no blog através de novas pautas sobre cinema, literatura, cultura e minhas vivências, mas também com um novo projeto de escrita para um site jornalístico , que lindo.

Enquanto isso continuo por aqui, em meio a esse paralelo, vivencio e amo essa minha sina, que só me surpreende e me completa. Como todos sabem escrever é pra poucos, é uma construção que nos faz crescer passo a passo, e com essa iniciativa todos os dias, só nos faz sermos melhores e maiores. A escrita faz parte de mim, e eu dela, como sempre digo e repito “quanto mais escrevo, mais me descubro”, e diante desse amor, só posso dizer, muito mais textos por favor!



Beijo, Samara Veras.

1 de janeiro de 2015

os desejos do novo ano




Não tenho grandes expectativas para esse novo ano , mas tenho alguns desejos, especiais , é claro. 2015 chegou e o meu maior desejo de todos, é saúde, muita alegria, pra todo mundo da família Veras, em especial para o meu vô lindo que já tem 94 anos e que está com sua saúde debilitada, como sempre digo, Deus é fiel.

Tenho desejos simples para o novo ano, a felicidade é simples, não é mesmo?! Pois lá vai. Já fiz minha listinha de desejos, é claro, daquelas que a gente guarda naquela caixa de recordação , mas que é só pra gente ( hahaha), fazendo charme! Ta bom, vou falar alguns (rs)

E vamos a simplicidade, desejo;

1- Começar a escrever um roteiro de um documentário que desejo produzir no interior de Madalena

2- Ser voluntária de uma Ong

3- Passar o final de semana com minha amiga Marcela Lima, em Redenção (vaidarcerto!)

4- Criar vergonha na cara e começar a estudar inglês (hahaha) !

5- Ver minha mãe mais vezes, inclusive às sextas feiras

6- Terminar de escrever meu romance (ui!)

7- Voltar a praticar algum  esporte, pode ser musculação ,coragem(!)

8- Comprar uma bicicleta

9-Comprar uma radiola

10- Conhecer Manaus, terra do meu amigo Davi

11- Me batizar nas águas

12- Vencer o TCC, que está por vir.


Carrego comigo inúmeros desejos  no peito, e que espero alcançar, com a vontade de Deus é claro. O que nos espera daqui pra frente com toda certeza vai sorrir e florir como nunca igual. Que Deus possa guiar nossas escolhas, decisões e vontades melhor que nós, só ele que sabe o que realmente precisamos.


Feliz ano novo! 

Samara Veras

Pages - Menu